Make your own free website on Tripod.com

Escola Sabatina

Lição 3
Home | Lição 1 | Lição 2 | Lição 3 | Lição 4 | Lição 5 | Lição 6 | Lição 7 | Lição 8 | Lição 9 | Lição 10 | Lição 11 | Lição 12 | Lição 13

Os Adversários

Lição 03: 12 A 19 de janeiro de 2002.

OBJETIVO DESTE ESTUDO

Mostrar ao aluno quem são estes adversários e o que pretendem.

VERDADE CENTRAL

A missão de Cristo é restituir ao Céu e à Terra a paz que o pecado arrebatou.

INTRODUÇÃO:

O caráter de uma pessoa, sua personalidade, suas virtudes, sua índole e seu jeito de ser são vistos em seus atos exteriores. Observando essas ações, você diz: Essa pessoa é arrogante ou humilde, é boa ou má, é gentil ou indelicada, é calma ou agitada e assim por diante. Às vezes comparamos as pessoas aos animais ou até a coisas inanimadas. Exemplos: Para uma pessoa amável e gentil, dizemos, ela é um doce ou o contrário disso dizemos, que o sujeito é amargo ou ardido. Se for sujo, dizemos que é um porco, e se trabalha muito dizemos que é um boi no serviço, e etc.

Da mesma forma, a Bíblia usa estes recursos de linguagem para descrever Cristo ou Satanás.

No estudo de hoje analisaremos cinco pares de nomes contrastantes aplicados a Cristo e ao adversário Satanás. São eles:

Emanuel, Deus conosco X O leão devorador
O Senhor da luz X O príncipe das trevas
O Deus da verdade X O pai da mentira
O Cristo X O anticristo
O Bom pastor X O lobo cruel
Todo estudo será baseado neste contraste. O palco é nossa vida onde o conflito é travado. Cristo, com as características de luz, verdade, bom pastor, etc., lutando contra Satanás que tem as características de mentiroso, lobo, príncipe das trevas, etc. Ambos batalham pelo direito de ter nossas afeições. O interessante nesta luta, está nos seguintes pontos, os quais deveriam ser bem analisados por você: Que tipos de armas cada um usa, que tipo de abordagem cada um faz, que promessas cada um apresenta, serão capazes de cumprir o que estão prometendo, e, finalmente, que benefícios terei seguindo a proposta A ou a proposta B.

I PARTE DEUS CONOSCO X O LEÃO DEVORADOR

Nossa batalha espiritual é muito parecida com as guerras convencionais. Nas guerras convencionais há sabotagens, enganos, mentiras, traição e promessas não cumpridas dos dois lados. Embora haja semelhanças entre as duas guerras, há também diferenças. Vejamos algumas dessas diferenças.

A) Diferenças entre as guerras convencionais e a Grande Guerra

A primeira grande diferença entre a guerra espiritual e as guerras humanas, é que na espiritual, Cristo não utiliza enganos, mentiras, traição, sabotagens e nem faz promessas que Ele não possa cumprir como faz Satanás. Por exemplo: O chamado de Cristo para você, é claro, limpo e audível. Ele diz: "Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei." (Mat. 11:28). Por outro lado, a Bíblia diz que Satanás vem como um leão traiçoeiro que ataca sua vítima quando ela menos espera. (I Pedro 5:8).
Ellen White escreveu que Satanás freqüentemente finge ser nosso aliado. "Ele freqüentemente parece um anjo de luz, assumindo ares amistosos, apresentando tentações peculiares, que é difícil para o inexperiente suportar." Testemunhos Para a Igreja, vol. 4, pág. 207.

Outra grande diferença entre as guerras convencionais e a Grande Guerra é que nas guerras humanas, você não decide de que lado vai ficar. Os que ganham a guerra, decidem seu destino, seus interesses e o que você deve fazer. Na Grande Guerra, você decide o que deve fazer e para que lado quer pertencer. Você não é obrigado a seguir nenhum líder.
Ellen White diz que Satanás fará todo esforço para destruir as pessoas. Mas ele só destruirá aquelas que aceitarem ser destruídas por seus enganos. "Nenhum homem pode ser vencido por Satanás sem seu próprio consentimento. O tentador não tem poder para controlar a vontade ou forçar a pessoa ao pecado." Spirit of Prophecy, vol. 4, pág. 229.

B) O significado de Deus conosco

Quando nossos primeiros pais pecaram, Deus fez a promessa de restaurá-los através da vinda de Jesus como o descendente da mulher. (Gên. 3:15).
Paulo diz que quando o tempo se completou, "Deus enviou Seu Filho, nascido de mulher". (Gál. 4:4).
João diz que Ele "Se fez carne e habitou entre nós". (João 1:14).
O maior significado de Deus conosco é a ligação que Cristo faz entre nós e o Céu. Devido ao nosso estado pecaminoso, não podemos nos achegar diante de Deus, não podemos pegar em Sua mão, não podemos ter acesso ao Pai. Estamos separados de Deus pela nossa situação. Mas Cristo é Deus, Ele pode chegar diante de Deus, Ele pode segurar na mão do Pai, Ele pode ter acesso a Deus. Sendo Ele também humano, pode pegar em minha mão. Ele tem acesso a nós, Ele vive entre nós. Sendo assim, com Sua mão divina, Ele segura na mão do Pai e com Sua mão humana, Ele pega a minha. Desta maneira, Ele une o ser humano ao Deus poderoso porque Ele é DEUS CONOSCO.

Deus conosco é a garantia divina de que não estamos sem ajuda no Grande Conflito.

II PARTE O SENHOR DA LUZ CONTRA O PRÍNCIPE DAS TREVAS

Há um conto infantil que diz: Um dia um raiozinho de luz recebeu a incumbência de encontrar um lugar escuro na terra. Ele partiu do sol e começou a viajar a 300 mil Quilômetros por segundo até seu destino. Em pouco tempo estava na terra, e começou imediatamente sua tarefa. Começou seu trabalho visitando uma caverna escura. Mas quando lá chegou, tudo ficou claro; a seguir foi visitar uma velha casa abandonada que estava toda fechada, mas ao entrar, tudo ficou claro; em seguida dirigiu-se a um túnel, mas quando entrou ali, tudo ficou claro. E assim continuou o dia trabalhando. No final do dia voltou triste por não ter encontrado nenhum lugar escuro. Moral da história: Existe escuridão, mas com a presença da luz, a escuridão desaparece e cede lugar à luz. Portanto:

Onde houver luz, jamais haverá escuridão.
O autor da lição diz que nem toda a escuridão do mundo pode encobrir ou esconder a luz de uma única vela.
A luz sempre foi o símbolo da presença divina.
Mas há escuridão, há trevas.
O termo trevas ou escuridão é aplicado ao mal, a Satanás e a coisas ruins.
Satanás é conhecido como o Príncipe das trevas. (Efés. 6:12).
Seu poder é conhecido como as potestades das trevas. (Col. 1:13).
As pessoas que rejeitam a Cristo são conhecidas como aqueles que amam mais as trevas que a luz. (João 3:19).
Falando da maldade reinante, Isaías diz que as trevas cobriram a terra e a escuridão os povos. (Isa. 60:2).
Cristo é o Senhor da luz.
O termo luz é aplicado para Cristo, para as coisas boas e para o bem.
No início da criação, Cristo fez o solene pronunciamento: "Haja luz." (Gen.1:3).
A Bíblia diz que "Deus é luz". (I João 1:5).
Enquanto Jesus estava na terra, fez outro solene pronunciamento: "Eu sou a luz do mundo." (João 8:12).
Os evangelhos usam muito o termo luz, luz que alumia, luz verdadeira, luz dos homens, luz do mundo, para Jesus.
É interessante concluir a análise comparativa da Luz com as trevas, mostrando ao seu aluno que as obras más, são praticadas de preferência no escuro, nas trevas, na escuridão. As pessoas se escondem no escuro para praticar atos vis indecorosos e maldosos. É por isso que temos medo do escuro. Nas grandes cidades e nos bairros perigosos, as pessoas não se arriscam sair de noite, porque têm medo da noite, têm medo da escuridão. Muitos criminosos que são apanhados, escondem o rosto com a camisa ou com as mãos. Praticaram seus atos na escuridão e não querem mostrar o rosto no claro.

Ao contrário, as obras boas são praticadas à luz do dia. Atos bondosos, obras de amor, atitudes nobres são práticas vistas por todos. É por essas razões que alguém disse acertadamente que o caráter de uma pessoa é que ela é no escuro.

PENSAMENTO:

"Aqueles cujas afeições são colocadas no mundo não estão desejosos de desistir de seus planos pessoais e aceitar os planos de Cristo. Estão caminhando nas trevas e não sabem para onde vão. A preciosa luz da verdade brilha sobre o caminho dos que buscam os planos de Deus." E.G. White, Our High Calling, pág. 16.

III PARTE O DEUS DA VERDADE X O PAI DA MENTIRA

Foi Jesus quem fez o solene pronunciamento: "Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por Mim." (João 14:6).

Muitas tentativas já foram feitas para definir a verdade. Exemplos:
"A verdade pode ser definida como o primeiro princípio, do qual fluem os demais princípios."
"A verdade pode ser definida como os atos desinteressados de amor."
"A verdade pode ser comparada a uma proposição lógica tal como o enunciado de A=B, e B=C, sendo assim, A = C".
Obs.: Todas estas definições podem estar parcialmente corretas.

Mas Jesus, foi o único que fez o solene pronunciamento: "EU SOU A VERDADE".


A busca da verdade tem sido uma árdua tarefa em todas as eras. Por exemplo:
"Buda cria que tinha uma mensagem maravilhosa para a humanidade, mas sobre si mesmo, apenas declarou ser um redescobridor da verdade." John M. Fowler, El Conflicto entre Cristo y Satanás, pág. 47.
"Embora fosse valente e benévolo, Krishna apenas se considerava um mestre da verdade." Ibidem.
"Confúcio pretendia ter apenas o direito de caminhar com outros aonde pudesse encontrar a verdade" Ibidem.
"Pilatos interrogando Jesus, perguntou: O que é a verdade?"
Mas Jesus, foi o único que fez o solene pronunciamento: "EU SOU A VERDADE".


Contrastando com o pronunciamento que Jesus fez sobre Si como a Verdade, Ele disse que Satanás é o pai da mentira.

Desde quando Satanás é o pai da mentira? Jesus diz que foi desde o princípio.

No Céu Satanás insinuou diante de Deus, que os problemas que surgiram ali, foram originados entre os anjos. Mentiu diante de Deus. E.G. White, This Day With God, pág. 256.
Satanás falsificou diante dos anjos a respeito do caráter de Cristo. Mentiu novamente. Ibidem.
Expulso do Céu, apresentou a primeira mentira aqui no Éden para Eva. (Gên. 3:1).
No deserto da tentação, em Mateus 4:5 e 6 Satanás deturpou a citação de Salmo 91:11 e 12 apresentando-a com outro significado. Compare as duas citações e veja que o Salmo diz "para que te guardem em todos os teus caminhos". Esta parte Satanás omitiu da citação. Mentiu novamente.
Satanás detesta Cristo porque Ele é a verdade em pessoa. Qualquer um que se identificar com Cristo, se identifica com a verdade e conseqüentemente será odiado pelo pai da mentira.

IV PARTE O CRISTO X O ANTICRISTO

A discussão desta parte envolve saber quem é o Cristo, e quem é o anticristo; Qual é a obra de Cristo e qual é a obra do anticristo; Como identificar o Cristo e como identificar o anticristo.

Identificando o Cristo
A melhor e mais completa identificação de quem é o Cristo, foi pronunciada por Pedro em Cesaréia de Filipos. Note que embora a declaração fosse feita por Pedro, ela representava a idéia dos doze apóstolos. E.G. White, Conflict and Courage, pág. 311. Pedro disse: "Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo." (Mat. 16:16).

Pedro estava identificando o Cristo como o Messias.
O Messias era a segunda pessoa da divindade.
O Messias era o logos eterno.
O Messias era o Criador.
A obra do Cristo ou do Messias consistia em:
Assumir a forma humana e morrer pela humanidade.
Obter a vitória definitiva sobre Satanás.
Reivindicar o caráter de Deus diante do Universo.
Identificando o anticristo
O anticristo é aquele que se opõe a Cristo. Isto começou no Céu quando Satanás se rebelou contra as ordens de Deus e de Cristo. Ele recusou-se a reconhecer que Cristo era igual ao Pai. O anticristo pode ser identificado tanto no singular como no plural.

O anticristo no singular refere-se a Satanás. Ele tentou usurpar o papel que correspondia exclusivamente a Cristo no Céu. Ele queria ser igual a Deus. Aqui na terra, ele tenta afastar os homens e as mulheres de Cristo.
O anticristo no plural refere-se àqueles que tentam ocupar o lugar que pertence a Cristo. A obra do anticristo no plural consiste em negar a Cristo como o Filho de Deus. Estes anticristos atacam a pessoa e a missão de Cristo. O apóstolo João escreveu que o anticristo viria negando o Pai e o Filho (I João 2:22). Diz também que surgiriam muitos anticristos (I João 2:18). Paulo disse que nos fins dos tempos o anticristo se manifestaria antes da segunda vinda de Jesus à terra. (II Tess. 2:3 e 4)
Se Cristo tem a missão de restaurar a humanidade ao seu estado original, o anticristo tem a missão de abortar a missão de Cristo, negar Sua divindade, degradar Sua humanidade, ridicularizar a cruz e zombar do pecado.
Concluímos que o anticristo é aquele que se coloca contra Cristo e também em lugar de Cristo. Ellen White diz que o "anticristo significa aquele que exalta a si mesmo contra a vontade e a obra de Deus." That I May Know Him, pág. 111.

CONCLUSÃO O BOM PASTOR X O LOBO CRUEL

Cristo disse: "Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas. O mercenário, que não é pastor, a quem não pertencem as ovelhas, vê vir o lobo, abandona as ovelhas e foge; então, o lobo as arrebata e dispersa. O mercenário foge, porque é mercenário e não tem cuidado com as ovelhas." (João 10:11-14).

O bom pastor
Cristo é identificado como o bom pastor. Vejamos o que identifica o bom pastor e quais são seus interesses.

O bom pastor está disposto a dar a vida pelas suas ovelhas.
O bom pastor vai adiante das ovelhas.
O bom pastor ama as suas ovelhas.
O bom pastor providencia alimento e água para as suas ovelhas.
O bom pastor protege as suas ovelhas.
O bom pastor conhece as ovelhas por seus nomes
O bom pastor as chama quando elas se afastam.
O bom pastor as espera quando elas demoram.
O bom pastor vai atrás das ovelhas quando elas se perdem.
O bom pastor se coloca entre o perigo e as ovelhas.
Cristo é apresentado como o bom pastor que deixou as glórias nas cortes celestes e veio a este mundo escuro para salvar Suas ovelhas das garras do grande lobo, Satanás.

O lobo cruel e o assalariado
Satanás é identificado como o lobo cruel. Mas na figura do assalariado vemos também o caráter de Satanás revelado. Sendo assim, o lobo cruel e o assalariado representam a mesma figura. Vejamos quais são os interesses do lobo cruel e do assalariado.

O lobo cruel é visto como aquele que ataca o rebanho.
O assalariado é visto como aquele que abandona as ovelhas quando o lobo cruel as ataca.
Tanto o lobo cruel como o assalariado estão interessados apenas na ovelha e no salário.
O assalariado pretende ser um pastor.
O assalariado não está disposto ao sacrifício por suas ovelhas.
A obra do assalariado é uma obra de aparências.
Palavras de conforto e segurança para nós como ovelhas do aprisco do bom pastor:

"Embora como representantes de Cristo, vocês são como ovelhas no meio dos lobos, vocês têm Alguém que pode ajudá-los em todas as circunstâncias, e vocês não serão devorados por estes lobos se permanecerem ao lado de Jesus." E.G. White, The Faith I Live by, pág. 183.

ITENS PARA DISCUSSÃO COM SEUS ALUNOS:

Quais as armas usadas por Cristo e quais as armas usadas por Satanás. Mencione algumas.
Existe meia verdade? A resposta é não. O que existe são mentiras claras e mentiras sutis.
Você acha que existe alguma justificativa para alguém mentir?
Mencione algumas obras que são feitas no escuro e algumas que são praticados à luz do dia.
O que poderíamos fazer para tornar mais fácil a tarefa do Pastor de nos proteger?
Você é capaz de mencionar alguns itens nos quais o povo de Deus está perdendo a batalha para Satanás?

Tire as Suas Dúvidas. Clic Aqui!