Make your own free website on Tripod.com

Escola Sabatina

Lição 9
Home | Lição 1 | Lição 2 | Lição 3 | Lição 4 | Lição 5 | Lição 6 | Lição 7 | Lição 8 | Lição 9 | Lição 10 | Lição 11 | Lição 12 | Lição 13

O Grande Conflito e os Milagres

Lição 09: 23 de fevereiro a 2 de março de 2002.

OBJETIVO DESTE ESTUDO

Mostrar o interesse de Jesus por nós e deixar claro que a vitória de Jesus sobre as forças do mal é certa.

VERDADE CENTRAL

Os milagres de Cristo são uma miniatura da luta que se trava no Universo entre Cristo e Satanás pela posse das pessoas.

INTRODUÇÃO

Seguindo a mesma linha de pensamento a respeito do drama do grande conflito, o estudo desta semana se propõe a analisar cinco dos cerca de 35 milagres realizados por Jesus. Vamos analisar cada milagre em três dimensões: a) Uma descrição do milagre; b) Uma visão do grande conflito neste milagre e c) O que este milagre nos ensina. Em primeiro lugar vamos definir o que é um milagre, tendo em vista os conceitos diversos que as pessoas têm sobre milagres: Alguns dizem que o nascimento de uma criança é um milagre, o fato de o sol ter nascido hoje é um milagre, a chuva regando a terra é um milagre, um encontro casual que redunde em grande benefício para alguém que estava aflito e em desespero é um milagre, e assim por diante. É verdade que todas essas coisas são milagres que se realizam diante de nós a cada momento. Mas os milagres que Jesus operou não fazem parte desse tipo de milagres que acabamos de mencionar. Porque, quando você fala do nascimento de uma criança, do nascer do sol ou da chuva que cai, embora sejam milagres, esses atos respeitam as leis naturais criadas por Deus. Entretanto, os milagres que estamos estudando não foram acontecimentos naturais. Foram eventos sobrenaturais, que não podem ser explicados e nem entendidos por leis naturais. Esses milagres desafiam as leis naturais e não são explicados por processos científicos. Como eles estão dentro do contexto do grande conflito, as forças que atuam ali são forças sobrenaturais, invisíveis e está além da capacidade humana entendê-las e/ou realizá-las por força ou sabedoria humanas. Ao operar os milagres Jesus tinha os seguintes propósitos em vista:

1- Deixar claro ao Universo que Jesus invadiu o terreno de Satanás e que sua derrota é certa.

2- Glorificar a Deus.

3- Trazer bem-estar aos sofredores que haviam esgotado todos os esforços humanos.

4- Mostrar que através de Cristo, podemos ter certeza da vitória.

I JUNTO AO TANQUE DE BETESDA

A) Uma descrição do milagre: (João 5)

Perto de Jerusalém havia um tanque chamado Betesda. Ao redor desse tanque havia uma multidão de doentes, aflitos, cegos, aleijados, ressequidos e sofredores, esperando o movimento das águas. "Em certo tempo as águas desse tanque eram agitadas, e acreditava-se comumente que isso era o resultado de poder sobrenatural, e que aquele que primeiro descesse a elas depois de haverem sido movidas, ficaria curado de qualquer enfermidade que tivesse." Ellen White, O Desejado de Todas as Nações, pág. 201.

Jesus foi até esse local e viu ali toda aquela miséria. Gostaria de curar a todos. Mas se fizesse isso, esse ato interromperia Sua obra, porque aquele dia era sábado. Dirigiu-Se a um caso de suprema miséria. Um paralítico abandonado pelos amigos e familiares, doente havia 38 anos. Perguntou-lhe: "Queres ficar são?" Ele respondeu: "Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me meta no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim." Jesus disse-lhe: "Toma tua cama e anda" Sem duvidar, ele tomou sua esteira e seu cobertor e saiu andando feliz pelas ruas de Jerusalém. Ao encontrar os líderes judeus, foi logo sendo repreendido porque estava carregando aquelas coisas num sábado. O homem disse que Aquele que o curara dissera para ele tomar seu leito e andar. Ele não sabia que fora Jesus que o curara, mas os líderes judeus sabiam. No templo, Jesus foi identificado pelo homem curado e pelos líderes judeus, que imediatamente O levaram ao Sinédrio. E só não O mataram ali mesmo porque não podiam.

B) Uma visão do grande conflito neste milagre.

a) O ódio de Satanás contra a lei de Deus.

1- No Céu, Lúcifer apregoara que os anjos, tanto quanto ele, não precisavam de lei.

2- Também dissera que a lei de Deus não era condizente com o caráter de Deus.

3- Quando esteve com Adão e Eva, apregoou que era impossível ao homem guardar a lei de Deus.

4- E durante o ministério de Jesus, Satanás tentou achar problemas relacionados com a lei em todas as obras que Jesus fazia.

"Nesse relato, a guerra contínua de Satanás contra a lei de Deus é vista, mas de uma perspectiva diferente. Satanás quer nos fazer crer que a lei é severa, injusta e impossível de se guardar...." (Lição pág. 101.)

b) Satanás estava instigando os líderes judeus para rejeitarem e matarem Jesus.

1- Os planos dos rabis de rejeitar e matar Jesus, eram os planos de Satanás.

"Depois de haver fracassado em seu desígnio de vencer a Cristo no deserto, arregimentara Satanás suas forças para se Lhe opor ao ministério, obstando, se possível Sua obra... E os guias de Israel tornaram-se os instrumentos de Satanás em combater o Salvador" Ellen White, O Desejado de Todas as Nações, págs. 205 e 206.

C) Que lições este milagre nos ensina.

1- Assim como Cristo fez, devemos atender às necessidades dos doentes e sofredores que vivem como aquele paralítico, sem família e sem amigos.

2- No sábado, devemos fazer as obras de misericórdia e amor.

3- Que Deus não deseja que Suas criaturas sofram.

4- Devemos ver e viver as belezas e as alegrias que o sábado nos proporciona.

5- Satanás fica feliz se permanecermos fiéis às rotinas da religião, desde que esqueçamos o ponto central da experiência religiosa, que é o relacionamento com Jesus.

II O SERVO DO CENTURIÃO

A) Uma descrição do milagre. (Mateus 8:5-13)

Um centurião romano tinha um servo que estava muito doente, à beira da morte. Então enviou mensageiros para pedir que Jesus fosse curá-lo. Jesus foi até a casa do centurião. Porém, ao chegar perto da casa, o centurião disse-Lhe: "Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado; mas dize somente uma palavra, e o meu criado sarará" (Mat. 8:8) O centurião acrescentou que era uma autoridade e bastava dar uma ordem aos seus servos e aos seus soldados e eles lhe obedeciam imediatamente. Então, bastava Jesus dar uma ordem e ele cria que seu servo seria curado imediatamente. Jesus o elogiou por sua grande fé e, naquele momento, o servo do centurião foi curado.

B) Uma visão do grande conflito neste milagre.

1- O centurião era um homem pagão e foi educado na idolatria de Roma.

2- Por não ser judeu, era desprezado como qualquer gentio. Neste caso, ele era aceito pelos judeus porque os ajudara a construir uma sinagoga. (Era um amor interesseiro)

3- Desde o início, divisamos o grande conflito dividindo as pessoas. Satanás causou divisão no Céu; o pecado causou divisão entre Adão e Eva e entre Caim e Abel. A separação entre o centurião e os judeus era um indício visível do grande conflito.

4- A divisão entre pessoas, cor, casta e posição social impede a pregação do evangelho e o cumprimento da missão. Sendo a divisão resultado do pecado, vemos neste milagre as pegadas do grande conflito.

C) Que lições este milagre nos ensina.

1- Naquele tempo, um criado ou escravo era considerado como umobjeto ou ferramenta de trabalho de seu proprietário. Entretanto, este soldado romano mostrou uma atitude coerente com o evangelho: "Interesse pelas pessoas"

2- O centurião disse que era indigno de receber Jesus em sua casa. Apresentou apenas a sua necessidade. O evangelho diz que somos indignos da graça de Deus; que somos imerecedores de Seu amor e que nossa necessidade é a única coisa que podemos apresentar diante de Deus como argumento.

3- Na Revista Adventista de fevereiro de 2002 o Pastor Cássio M. de Servi apresenta as seguintes lições que podemos aprender deste milagre:

a) A fé nos leva a Jesus. Foi isto o que a fé fez com o centurião.

b) A fé nos transforma em servos de Deus.

c) A fé nos faz confiar na Palavra de Deus. "Dize uma palavra e meu servo sarará"

d) A fé nos faz prosseguir. "Vai-te, disse Jesus."

e) A fé nos dá a certeza de que aqueles que a possuem jamais serão decepcionados.

"O centurião viu com os olhos da fé que os anjos de Deus estavam em volta de Jesus, e que Sua Palavra poderia comissionar um anjo para ir ao encontro do sofredor." Ellen White, 1888 Materials, pág. 560.

III O ENDEMONINHADO

A) Uma descrição do milagre (Mat. 12:22-32)

Neste relato temos o milagre de um moço que era endemoninhado, cego e mudo. As pessoas o levaram até Jesus. E Jesus o curou e ele tornou-se uma pessoa livre dos demônios que o atormentavam, foi curado e passou a ver e a falar. Que quadro maravilhoso. Tendo presenciado o milagre, os fariseus começaram a dizer que Jesus expulsara o demônio pelo poder de Belzebu. Jesus os repreendeu mostrando que se o diabo estivesse trabalhando contra o diabo o reino dele se esfacelaria.

B) Uma visão do grande conflito neste milagre.

Neste milagre, vemos claramente que o grande conflito atua na mente humana. Nossa mente é um campo de batalha. Se permitirmos que o Espírito Santo controle nossa mente, ela se torna uma morada dos seres divinos. Mas se permitirmos que Satanás controle nossa mente, ela se torna morada dos demônios. Portanto, se você obedecer ao pecado, ele o dominará (Rom:6:12). Mas se você obedecer ao Espírito Santo, Ele habitará em você. (Efésios 2:22) Tudo é uma questão de escolha. Ellen White diz: "A alma que se rende a Cristo, torna-se Sua fortaleza, mantida por Ele num revoltoso mundo, e é Seu desígnio que nenhuma autoridade seja aí conhecida senão a Sua. Uma alma assim guardada pelos seres celestes é inexpugnável aos assaltos de Satanás." O Desejado de Todas as Nações, pág. 324.

No grande conflito, a luta é pelo controle do terreno da mente. Aqui, neste milagre, vemos claramente Cristo chegando e dizendo: "O reino de Deus chegou até vocês. Eu estou invadindo o reino de Satanás, para estabelecer o reino divino com a Minha presença." SDA Bible Commentary, vol. 5, pág. 395.

C) Que lições este milagre nos ensina.

1- Que o demônio existe e está desesperadamente lutando pelo controle da mente das pessoas.

2- Quando Jesus chega, os demônios abrem passagem. Cristo tem autoridade para expulsá-los e tem autoridade para restaurar as pessoas de seus males físicos, mentais e espirituais.

3- Com a chegada de Jesus, as pessoas são transformadas.

4- Este milagre nos ensina que embora a mudança seja custosa e radical, o resultado é salutar para aquele que estava escravizado pelo inimigo e também para sua família e para a comunidade.

5- Este milagre nos desafia a tomar posição Ou contra ou a favor de Cristo. Não há como ser neutro no grande conflito.

IV O TOQUE DA FÉ

A) Uma descrição do milagre.

Havia uma mulher que tinha uma hemorragia já há doze anos. Gastara tudo o que tinha com médicos, mas sua enfermidade continuava cada dia pior. Antes deste milagre, Jesus já havia realizado pelo menos uns dezesseis milagres. É possível que as pessoas tenham contado o que acontecera com elas. Talvez esta mulher também ouvira a respeito de Jesus e de Seus milagres. Foi aí que a fé começou a operar. Ela foi em busca de Jesus. Mas ao buscá-Lo, encontrou barreiras. Dentre as muitas barreiras e obstáculos, vamos mencionar apenas dois:

1- Era uma mulher. Os judeus haviam excluído as mulheres de muitos privilégios desta vida. É tanto que um judeu ortodoxo orava cada dia dizendo: "Senhor, obrigado porque não nasci escravo, nem gentio e nem mulher". Mesmo sendo mulher, ela foi em frente, venceu essa barreira e recebeu a bênção.

2- Sua enfermidade era considerada impura pelos costumes da época Uma pessoa impura devia ficar excluída do convívio da família e da sociedade. Era proibido a ela estar ali no meio da multidão.

Apesar destas barreiras, esta mulher penetrou no meio da multidão, chegou perto de Jesus, tocou em Suas vestes e foi curada imediatamente.

B) Uma visão do grande conflito neste milagre.

1- O programa de Satanás no grande conflito, é manter as pessoas separadas de Deus, separadas da vida, separadas de Jesus. A dor, o sofrimento, a enfermidade são alguns exemplos de armas usadas por Satanás para manter esta separação. Neste caso que estamos estudando, a doença mantinha esta mulher separada de sua família, separada de seus amigos, separada dos benefícios espirituais que o culto e os ajuntamentos religiosos lhes proporcionavam.

2- Aqui também está visível diante de nós a luta que é travada na vida de cada pessoa que deseja servir a Jesus. Há barreiras para se vencer. E a fé é o meio pelo qual estas barreiras são vencidas.

C) Que lições este milagre nos ensina.

1- Se o plano de Satanás é manter as pessoas em dor, em trevas, enfermas e excluídas do convívio da família, da sociedade e dos cultos, o plano de Jesus é curá-las e restaurá-las ao gozo destas alegrias.

2- Este milagre nos ensina que Jesus estava desejoso de curar aquela mulher. Mas Ele esperava que ela fizesse sua parte. E ela o fez. Hoje há muitas pessoas que querem ser curadas, querem ser salvas, querem ser perdoadas, mas não estão dispostas a ir ter com Jesus, vencendo os obstáculos.

3- O amor e o interesse de Jesus por nós é algo extraordinário. Ellen White diz que Jesus conhecia o que se passava na mente daquela mulher e mudou o trajeto de Seu caminho para passar perto dela, a fim de que ela pudesse ter a oportunidade que tanto anelava. A Ciência do Bom Viver, pág. 59.

V LÁZARO, VEM PARA FORA

A) Uma descrição do Milagre. (João 11:1-45)

O milagre da ressurreição de Lázaro é conhecido como o príncipe dos milagres de Jesus. Ellen White diz que este foi "o maior dos milagres de Cristo" Diz também que este foi "a coroa dos milagres do Salvador" O Desejado de Todas as Nações, págs. 524 e 529. O relato diz que Lázaro ficou doente e suas irmãs enviaram mensageiros até Jesus relatando o fato. Jesus não veio imediatamente, e Lázaro morreu. Depois de quatro dias na sepultura, Jesus chega e vai com a família e os amigos ao sepulcro. Ali Ele chora, ora e chama: "Lázaro, vem para fora". A vida penetra no defunto que se ergue e vem para fora.

B) Uma visão do grande conflito neste milagre.

1- A morte é conhecida como o salário do pecado. A morte é contrária aos planos de Deus. Quando Deus nos criou, deu-nos a árvore da vida para que tivéssemos vida eterna. Mas a desobediência e o pecado nos separaram da vida e nos levaram à morte.

2- Satanás luta para manter as pessoas no pecado e, conseqüentemente, na morte. É desejo de Satanás que as pessoas que morrem, permaneçam mortas para sempre. Porém, quando o Doador da vida vem, a luta no grande conflito esquenta. É a luta pela posse das pessoas.

3- Quando Cristo veio ressuscitar Moisés, ali estava o diabo tentando impedir a ressurreição de Moisés (Judas 1:9).

4- Ellen White diz que se Cristo estivesse lá, Lázaro não teria morrido, porque Satanás não teria exercido seu poder de morte na presença de Cristo. O Desejado de Todas as Nações, pág. 528. Dentro do escopo do grande conflito, isto nos mostra que Cristo é Deus e mantém o controle da vida em Suas mãos.

C) Lições que este milagre nos ensina.

1- Que Jesus é o doador da vida. Mesmo que venhamos a cair nos braços da morte, temos a certeza de que Aquele que ressuscitou Lázaro nos ressuscitará também.

2- Jesus descreveu a morte como um sono. Esta é também nossa esperança. A morte não é o fim, é apenas um sono.

3- A atitude de Jesus diante do quadro, mostra que Ele tem interesse em nossas lutas, decepções e dores.

4- Que a doutrina da imortalidade natural da alma é uma falácia. Os cristãos devem continuar acreditando na ressurreição dos mortos quando Cristo ordenar que ela aconteça.

CONCLUSÃO

Os milagres de Cristo foram uma demonstração em miniatura do grande conflito que se desenrola no Universo. A luta de Satanás para manter as pessoas presas em suas enfermidades, dor e sofrimentos tem por finalidade separá-las de Deus. Porém, através de Cristo, as pessoas podem escolher viver uma vida de alegria e paz nesta vida e ter a certeza de que um dia Aquele que curou os sofredores, trouxe paz aos desesperados e vida aos que estavam mortos, também os levará de volta ao Éden restaurado. Tenhamos esta esperança.

PARA DISCUTIR COM SEUS ALUNOS

1- O relato do tanque de Betesda, nos mostra que os líderes estavam mais interessados nas cerimônias que no bem estar das pessoas. E na Igreja de hoje, como você vê este assunto?

2- Jesus operou sete milagres em dia de sábado. Se Ele sabia que essa atitude irritaria os judeus, porque Ele não os realizou nos dias da semana? Dê sua opinião.

3- O centurião mostrou que entre ele e seu empregado e entre ele (Romano) e Jesus (Judeu) não havia barreiras. Quais as barreiras que você vê hoje em nossa igreja? O que podemos fazer para acabar com elas?

4- Se um milagre autêntico é uma prova da atuação sobrenatural de Deus, porque temos tão poucos milagres na igreja?

5- Que acontecimento em sua vida mostra com muita clareza a luta entre Cristo e Satanás?

6- Manter-se fiel a Deus num mundo tão imoral, cruel e mau é um milagre ou não?

Tire as Suas Dúvidas. Clic Aqui!