Make your own free website on Tripod.com

Escola Sabatina

Lição 11
Home | Lição 1 | Lição 2 | Lição 3 | Lição 4 | Lição 5 | Lição 6 | Lição 7 | Lição 8 | Lição 9 | Lição 10 | Lição 11 | Lição 12 | Lição 13

Você e o Grande Conflito

Lição 11: 9 a 16 de março de 2002.

OBJETIVO DESTE ESTUDO

Mostrar ao aluno que Satanás está lutando diariamente pelo domínio de nossa mente e de nosso coração.

VERDADE CENTRAL

Vestidos com toda a armadura de Deus e orando em todo tempo, seremos vencedores por Aquele que nos amou.

INTRODUÇÃO

Nas lições anteriores, estudamos o desenrolar do grande conflito desde que começaram no Céu os desafios pelos quais passaram alguns personagens bíblicos, a luta com Jesus, e uma visão desse drama cruel nas parábolas e nos milagres de Jesus. Hoje, falaremos sobre o grande conflito dentro de você. Ellen White diz que só há duas forças neste mundo: "Aqueles que são leais a Deus, e aqueles que estão sob a bandeira do príncipe das trevas." SDA Bible Commentary, vol. 7, pág. 982. E ainda acrescenta: ... "Deus não domina nossa mente sem nosso consentimento; mas toda pessoa é livre para escolher o poder que deseja domine sobre ela." A Ciência do Bom Viver pág. 93.

É apropriado que nosso verso central diga tão claramente que a "nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais" (Efé: 6:12). No contexto do estudo de hoje, podemos afirmar que há duas batalhas:

A) A primeira batalha, foi travada na vida de Jesus, culminando com Sua morte sobre a cruz e Sua ascensão de volta para o Céu. Essa vitória é objetiva, clara e definitiva. Foi ela que assegurou a eliminação definitiva de Satanás no final do milênio.

B) A segunda batalha é a luta travada em nossa vida diária. É o derradeiro esforço feito por Satanás em desespero para levar as pessoas com ele para a destruição final. Nossas escolhas vão definir de que lado estaremos quando a cortina se fechar.

Ao estudarmos o tema desta semana, nós invertemos a ordem que o autor da lição apresenta em seu esboço, por compreendermos que didaticamente fica melhor estudar as armas do Dragão e as armas do Cordeiro, e então tomar os exemplos de Judas e de Pedro como ilustrações do uso dessas armas na vida deles e na nossa.

I AS ARMAS DO INIMIGO

Sendo um astuto conhecedor de estratégias de guerra, o inimigo tem usado os elementos que são usados nos diversos tipos de guerra. Quais são esses elementos? Como esta não é uma guerra convencional, onde se usam aviões, bombas, mísseis, granadas e armas de fogo, as armas usadas pelo inimigo são diferentes. Quais são essas armas? Para efeito de melhor compreensão dividimos essas armas em quatro categorias:

A) As armas convencionais.

Ele usa a astúcia, a mentira, o engano, as fraudes, a sabotagem e, quando necessário, ataca impiedosamente suas vítimas. Como o prezado leitor pode ver, essas armas são as convencionais, usadas diariamente por Satanás e seus correligionários para atacar os seres humanos.

B) Armas não convencionais.

O eletromagnetismo, a lei da gravidade, as ondas de rádio, as partículas subatômicas do espaço e outras armas que existem mas você não as pode ouvir, ver, sentir e nem perceber através de nossos sentidos imediatos. Embora não sejam percebidas naturalmente, elas existem e podem ser usadas por Satanás com muita propriedade, porque ele é sábio, sagaz e conhecedor dos princípios que regem essas forças.

C) Armas políticas e sociais.

Satanás faz todo esforço para influenciar as autoridades civis, os governantes, os poderes políticos, judiciais, econômicos e psicológicos para afastar as pessoas de Deus. Muitas decisões para perseguir as fiéis testemunhas de Deus, tomadas por governantes, foram obras diretas de Satanás. Igrejas que são fechadas e destruídas, pessoas que são mortas por pregar o evangelho da paz, foram ações realizadas em nome do social por nações, políticos e governantes. Mas por trás está Satanás.

D) Armas religiosas.

Essas armas são as mais diferentes decisões tomadas por pessoas que até se dizem religiosas. São estratégias usadas pelo inimigo para afastar as pessoas da Fonte da Verdade. Vejam o que dizem essas pessoas: (Citado em John Fowler El Conflicto entre Cristo y Satanás, pág. 160)

a. Todos os deuses são iguais.

b. A verdade não é absoluta; tudo depende...

c. Pecado não existe, o que existe é desvio de conduta ou fracasso.

d. Não precisamos de um Salvador, necessitamos é de mais espiritualidade.

e. A morte não é real, é apenas uma porta para outra vida.

f. Não existe uma lei para governar a conduta humana, o que há são princípios socialmente aceitáveis.

g. Esqueça a oração, prefira a meditação.

h. A graça não é uma provisão divina, é apenas um potencial humano.

II AS ARMAS DO CORDEIRO

Bem, assim como neste mundo espiritual existem as armas usadas por Satanás, graças a Deus, existem também as armas usadas por Jesus, o Cordeiro de Deus, e recomendadas aos Seus filhos. Embora estejamos envolvidos na guerra, estamos lutando e desejemos ganhar, não usamos as mesmas armas que Satanás usa. Aliás, as armas que o Cordeiro recomenda são totalmente diferentes das usadas pelo inimigo. Primeiramente, consideremos três pontos importantes no uso das armas do Cordeiro:

1- Devemos identificar o inimigo como forças sobrenaturais.

2- Devemos agir, enfrentando com determinação o inimigo. Devemos estar fortalecidos e resistir.

3- Uma vez identificado o inimigo, estando determinados a enfrentá-lo, precisamos das armas. Paulo diz que as armas são chamadas de "armaduras de Deus"

A) As armas recomendadas pelo Cordeiro. (Ver Efésios 6:10-18)

1 - A verdade. (Cingidos os vossos lombos com a verdade)

A verdade será arma poderosa para nos defender das mentiras, dos enganos e da astúcia do inimigo. A verdade é uma peça essencial na vida do cristão.

2- A couraça da justiça.

"A justiça de Cristo... é um princípio de vida que transforma o caráter e rege a conduta." Ellen White, O Desejado de Todas as Nações, pág. 555.

3- Calçados os pés na preparação do Evangelho da paz.

A vida do cristão que está com Deus é uma vida de paz. Cristo nos diz: "A Minha paz vos dou...Não se turbe o vosso coração e não se atemorize." (João 14:27)

4- O escudo da fé.

A fé é um poderoso elemento da luta contra as potestades das trevas. É mais que algo passivo, é confiança na liderança de Cristo em nossa vida. A fé se agarra às promessas de Deus quando o inimigo lança suas sombra infernal sobre nós.

5- O capacete da salvação.

A certeza da salvação é uma poderosa arma. Um cristão que tem certeza de que seus pecados foram perdoados, que vive a certeza da presença de Cristo em sua vida e que tem a esperança da vida vindoura é invencível para o inimigo.

6- A espada do Espírito que é a Palavra de Deus.

Embora as demais armas mencionadas acima sejam mais defensivas, aqui temos uma arma poderosa de ataque A Palavra de Deus. Observe que na parte II mencionamos as armas religiosas usadas por Satanás. Aquele que rege sua vida pela Palavra de Deus não cai nas armadilhas de Satanás. Diz Ellen White: "Mesmo nesta vida não nos é proveitoso apartar-nos da vontade de nosso Pai no Céu. Quando aprendermos o poder de Sua palavra, não seguiremos as sugestões de Satanás para obter alimento ou salvar a vida. Nossa única preocupação será: Qual é o mandamento de Deus? Qual Sua promessa? Sabendo isso, obedeceremos ao primeiro, e confiaremos na segunda.." O Desejado de Todas as Nações, pág. 121.

7- Além dessas armas mencionadas em Efésios 6, tanto Paulo como João e o próprio Cristo adicionam: As armas da luz, o sangue o Cordeiro e a palavra do testemunho que deram.

Paulo culmina sua relação das armas do cristão desafiando-o a estar envolvido com a oração em todos os momentos da vida. "Orando em todo o tempo."

Um cristão vestido assim só pode estar pronto para enfrentar as astúcias do diabo.


III O DESERTOR DERROTADO

Nas duas partes seguintes, nos ocuparemos em analisar a vida de dois personagens como ilustração do que pode acontecer na vida das pessoas. Judas será analisado como alguém que foi derrotado por Satanás e, na parte seguinte, analisaremos Pedro, que, apesar de sofrer muito com a pesada artilharia de Satanás, saiu-se vencedor, resgatado da boca do leão.

JUDAS:

Judas era um dos doze apóstolos de Jesus. Quando Jesus fez a ordenação desses apóstolos, Judas também foi ordenado com os doze (ver Lucas 6:12-16).

Ellen White faz uma descrição maravilhosa das oportunidades que Judas teve ao andar os três anos e meio com Jesus: "Judas via os doentes, os coxos, os cegos aglomerarem-se em torno de Jesus, vindos de aldeias e cidades. Via os moribundos que Lhe depunham aos pés. Testemunhava as poderosas obras do Salvador, na cura dos enfermos, na expulsão dos demônios, na ressurreição de mortos. Experimentava em si mesmo o testemunho do poder de Cristo. Reconhecia serem Seus ensinos superiores a tudo quanto ouvira anteriormente. Amava o Grande Mestre, e anelava estar com Ele. Tivera desejo de ser transformado no caráter e na vida, e esperava experimentar isso mediante sua ligação com Jesus. O Salvador não repelira Judas. Dera-lhe lugar entre os doze. Confiou-lhe a obra de evangelista. Dotou-o de poder para curar os doentes e expulsar os demônios. Mas Judas não chegou ao ponto de render-se inteiramente a Cristo. Não renunciou as suas ambições terrenas, nem a seu amor ao dinheiro. Ao passo que aceitava a posição de ministro de Cristo, não se colocou no divino molde. Achava que podia reter seus próprios juízos e opiniões, e cultivou a disposição de criticar e acusar."- O Desejado de Todas as Nações, págs. 716 e 717". Além dessa minuciosa descrição, ainda acrescentamos que:

1- Judas tinha o melhor preparo do grupo.

2- Era um dedicado patriota, disposto a arriscar a própria vida para libertar Israel do jugo romano.

3- Era um especialista em organização.

4- Era um grande economista.

5- Era também um homem de atrevidos planos.

Jesus trabalhou incessantemente durante todo o período dos três anos e meio para colocar Judas no prumo, para dar a ele uma visão clara de Sua missão e enfim salvá-lo das mãos de Satanás. Mas isso não foi possível. O que saiu errado?


Além da resposta mencionada por Lucas, desejamos acrescentar mais algumas informações sobre a pergunta crucial: O que saiu errado?

1- Quando Jesus realizou o milagre que alimentou os 5.000, Judas foi o primeiro a captar a potencialidade mercenária do milagre. Ali estava o Homem, pensava ele, capaz de produzir alimento para milhares de soldados. Ele visualizou a vitória de seu povo sobre os odiados romanos.

2- Judas pensou em liderar a multidão contra a vontade de Jesus e forçá-Lo a aceitar ser coroado como Rei. Ele não pensava no Reino que Jesus pensava. Ele pensava num reino terrestre onde ele poderia ter vantagens imediatas.

3- Quando Maria derramou o perfume nos pés de Jesus, Judas ficou irritado com o desperdício. Ele não via o eterno, apenas o imediato.

4- "Judas cultivava a disposição de criticar e acusar" (Ellen White)

5- "Judas nunca renunciou suas ambições terrenas." (Ellen White).

6- "Judas nunca se rendeu inteiramente a Cristo." (Ellen White)

7- Judas foi culpado de muitos pecados: Cobiça (Mateus 26:14 e 15), Hipocrisia (João 12:4-6), deslealdade (Marcos 14:10) e desonestidade ( João 12:6)

8- Quando, finalmente, traiu a Jesus, Judas não desejava que os líderes da nação matassem a Jesus. Ele pensava que, na hora "H", Jesus Se libertaria das forças que O prendiam. Para Judas, a traição era apenas um meio para forçar Jesus a tomar a decisão de ser o Rei esperado.

Além desses aspectos vistos na vida de Judas, Lucas completa nosso pensamento com a seguinte frase: "Então Satanás entrou em Judas, chamado Iscariotes, um dos doze." (Lucas 22:3)

IV O DESERTOR RESGATADO

Na parte anterior nos ocupamos com a análise da derrota de Judas. Nesta parte, nos ocuparemos com a vida de Pedro. Quem era Pedro, quais os traços fortes que o marcaram e como se tornou um vencedor ao passar tão perto do abismo montado por Satanás?

PEDRO:

Pedro foi um dos doze apóstolos de Jesus. Foi ordenado ao ministério apostólico juntamente com Judas e os demais apóstolos (Ver Lucas 6:12-18). Era um homem impetuoso, tomava decisões rápidas e era decidido. Devido ao seu temperamento, muitas vezes Pedro errou por não gastar tempo refletindo sobre sua decisão. Ou seja, decidia sem pensar, e por isso muitas vezes errava. Mas, apesar de seus fracassos, Pedro amava a Jesus. Para melhor compreensão, dividimos a vida de Pedro em três lances:

1- As confissões de Pedro.

a) Pedro faz duas grandes confissões relacionadas com Jesus. A primeira confissão foi em Cesárea de Filipe. Diante da pergunta de Jesus sobre quem Ele era, Pedro fez a magistral declaração de que Jesus era o Cristo, o Filho do Deus vivo. (Mat.16:16) Pedro expressou nesta frase a firme convicção de que Jesus viera de Deus, de que Ele era Deus e de que era também o esperado Messias.

b) A segunda confissão de Pedro está relatada em João 6:67 e 68. Após um duro discurso de Jesus, muitos deixaram de segui-Lo. Vendo que muitos se afastavam, Jesus perguntou se os discípulos também não queriam abandoná-Lo. Pedro toma a palavra e diz: "Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras de vida eterna."

2- A falta de foco e a autoconfiança quase levaram Pedro ao abismo.

Após a primeira confissão de Pedro, Jesus começou a falar de Sua morte como parte de Sua missão. Neste momento, Pedro tenta Jesus a desviar-Se dessa missão, evitando a cruz. Jesus então diz: "Para trás de Mim, Satanás" (Mat. 16:23) Como os demais discípulos, Pedro não tinha uma correta visão da missão de Jesus, incluindo a morte na cruz. Ellen White diz que foi para Pedro uma amarga lição aprender que o caminho de Cristo passava pela senda da humilhação. O Desejado de Todas as Nações, pág. 416. Um pouco antes da prisão de Jesus, Pedro foi arrogante e presunçoso ao dizer: "Senhor, mesmo que todos Te abandonem, eu nunca Te negarei" (Mat. 26:33-35) Momentos depois, ele estava dormindo enquanto Jesus travava uma terrível luta com Satanás no Getsêmani. Horas depois, não estava apenas negando Jesus, mas negando-O três vezes em seguida, covardemente.

3- A restauração de Pedro.

No momento em que Pedro negou conhecer a Jesus, em meio a impropérios, os olhos de Jesus cruzam com os seus olhos. Foi como uma lança a penetrar-lhe profundamente a alma. Pedro sai dali e, profundamente arrependido, chora amargamente por ter sido tão covarde diante de tão pequenas dificuldades. Ellen White diz: "Pedro caiu devido a sua suficiência própria, e foi restabelecido de novo devido ao seu arrependimento e confissão." Palabras de Vida Del Gran Maestro, pág. 120. Mais tarde, após a ressurreição, Jesus restabelece Pedro diante dos demais apóstolos, dizendo: Pedro, "apascenta Meus cordeiros e Minhas ovelhas." (João cap. 21)

CONCLUSÃO SE DEUS É POR NÓS... VENCEREMOS

Quando eu era juvenil, ouvi o pregador contar a história de um soldado que foi preso pelos inimigos. Levaram este soldado e o puseram diante de um paredão para ser fuzilado. Alguns instantes antes da execução, soldados do país do prisioneiro rasgaram caminho diante dos presentes e cobriram o soldado com uma bandeira de seu país. Isso tinha um significado especial para aquele soldado. Seu país estava dizendo que se atirassem nele, estariam atirando num país inteiro e não apenas num soldado. A execução foi suspensa. Satanás tem capturado muitos soldados de Cristo e deseja destruí-los, mas Jesus, o Comandante das hostes divinas está atento e pronto para enviar todo o Céu, se preciso for, para resgatar um de Seus soldados. Veja alguns pensamentos sobre o assunto em questão:

1- "Devemos vestir cada parte da armadura, e então estar firmes. Deus nos honrou, escolhendo-nos como Seus soldados." Ellen White, SDA Bible Commentary, vol. 6. pág. 1.119.

2- "Nosso Pai celeste tem mil maneiras de nos prover as necessidades, das quais nada sabemos. Os que aceitam como princípio dar lugar supremo ao serviço de Deus, verão desvanecidas as perplexidades e terão caminho plano diante de si. ." Ellen White, A Ciência do Bom Viver, pág. 481 .

3- "Nos dias mais sombrios, quando as aparências se mostram mais adversas, tende fé em Deus. Está cumprindo Sua vontade, fazendo todo o bem em auxílio de Seu povo. A força dos que O amam e servem será renovada dia após dia.." Ibidem, pág. 482.

4- "Em todo o poderio satânico não há força para vencer uma única pessoa que se rende confiante a Cristo."- Ellen White, Parábolas de Jesus, pág. 157.

5- É por isso que Paulo pergunta: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Rom. 8:31-39)

No início deste estudo, dissemos que a vitória de Cristo na cruz assegura nossa vitória final. Entretanto, estamos lutando diariamente contra as forças do mal. É por isso que a cada momento estamos sendo desafiados a permanecer ao lado de Jesus. É essa unidade e esse companheirismo através do estudo da Bíblia e da oração que nos farão vencedores dia a dia nesta guerra contra o mal.

DISCUTA COM SEUS ALUNOS:

1- Lucas diz que Satanás entrou em Judas. Satanás entra numa pessoa sem seu consentimento? Como funciona essa entrada?

2- Se você é estudante, mencione algumas das armas que Satanás tem usado com seus professores, com a matéria, e como você poderá livrar-se delas.

3- Você acha que entre alguns líderes da igreja, incluindo pastores, há pessoas com o perfil de Judas? E o que pode fazer para ajudá-los?

4- Qual o momento na vida de Pedro em que ele foi mais vulnerável a Satanás? E qual o momento que ele foi muito forte?

5- Você acha que nossos membros estão usando devidamente as armas que Deus nos preparou?

6- Você tem usado alguma das armas que Satanás usa para defender a causa de Cristo? Exemplo: Mentir numa alfândega para passar uma carga de Bíblia. Seria isto errado?

7- Por que Judas foi derrotado e Pedro foi vencedor? As armas de ambos os lados não eram as mesmas? Onde estava a diferença?

Tire as Suas Dúvidas. Clic Aqui!